06ago/13

Chamuscado

Por em 06.08.2013 às 18:19 1 Comentário

Na minha família tudo é motivo de festa, desde a descoberta do sexo do bebê da minha cunhada (sim, fizemos uma festa para descobrir) até a luta do UFC.

Pois bem, esse sábado teve a luta e meus irmãos e cunhadas chamaram muitos amigos para vir em casa fazer um churrasco e assistir. Só que eu e minha mãe não ficamos em casa e fomos para Arujá.

Meu irmão mais velho resolve fabricar cervejas caseiras e comprou um álcool super mega power e o outro irmão não sabia e com a maior inocência jogou o álcool na churrasqueira e o fósforo.

A churrasqueira se transformou em um maçarico gigante cuspindo fogo há mais de dois metros de distância. Meu irmão teve o rosto e os braços queimados, foi levado para o hospital e graças a Deus não foi nada demais (e nem vai ficar marcas), só um chamuscado

Porra Aspira, 15 anos de curso e ainda me dá uma dessas? Até o médico tirou sarro da cara dele! hahaha

E agora meu irmão, a.k.a. Pururuca está com a cara toda chamuscada e está formando casquinhas onde o fogo pegou, ou seja, o rosto quase que inteiro! hahahahahaha Juro, está muito engraçado. Ele perdeu um teco da sobrancelha e dos cílios (é, poderia ter sido bem grave…eu sei) e os pêlos do braço.

Edu, vamos lançar a depilação a fogo agora ? hahahahaha

 

 

P.S. As casquinhas vão sair meu irmão não vai ter marca nenhuma, só por isso estou tirando sarro. Poderia ter sido bem grave e eu dou graças a Deus por Ele me dar motivos para rir (véi, tá muito engraçado!) e não chorar!

 

 

 

 

 

29jul/13

Os desejos se realizam

Por em 29.07.2013 às 15:44 1 Comentário

Hoje estou um pouco depressiva, acontece de tempos em tempos. Eu ia escrever mais um daqueles posts reclamando da vida , cheguei até a escrever o assunto sobre qualquer coisa que lembre dessa saudade que me revolta.  Mas decidi que não, dessa vez não…. Reclamar só atrai coisa negativa, e estou tentando adotar a filosofia do: “Vai fazer alguma coisa para mudar? Não? Então não reclama!”. E eu definitivamente não vou fazer nada sobre esse assunto. Portanto: “Just Keep swimming”.

By the way, está acontecendo cada coisa boa na minha vida que seria muita muita muita paunocuzisse reclamar justamente do que não deu certo, ao inves de comemorar o resto.

Toda vez que eu me sentir triste vou olhar para essa foto.


Sempre achei que ir para Paris não era para mim, era apenas coisa para gente rica. Sempre sonhei em ir para lá, mas era um sonho distante, sabia que um dia iria conseguir mas não sabia que seria tão rápido.

Nunca vou me esquecer do dia que cheguei na estação Trocadero do metrô de Paris, subi as escadas de dois em dois degraus e sai na rua com aquela expressão de “Cadê? Cadê?”… Virei de costas e ali estava ela, a Dama de Ferro, imensa, linda, imponente, perfeita!

Aquele foi o melhor dia da minha vida, não só por estar realizando meu maior sonho e sim por tudo aquilo que ele representava para mim. Naquele dia eu tive certeza que eu posso sonhar com qualquer coisa que eu sempre vou conseguir alcançar,  a vida pode não ser um conto de fadas mas os sonhos se realizam no seu tempo.

Mostro um trecho e uma passagem de um livro antigo
Pra te provar e mostrar que a vida é linda
Dura ,sofrida, carente em qualquer continente
Mas boa de se viver em qualquer lugar

E a verdade seja dita, mas só entre Setembro e Novembro realizarei 5 sonhos…

Do que eu estava reclamando mesmo?

 

01jul/13

Meio ano se foi…

Por em 01.07.2013 às 12:09 5 Comentários

.. e eu já estou querendo fazer um balanço do primeiro semestre. Os últimos meses não foram dos melhores para mim e isso reflete muito por aqui, que está repleto de posts de lamentações. Sei que acabo ficando monotemática, mas esse blog foi feito exatamente para isso, poder desabafar sem ter que alugar o ouvido das minhas amigas.

No começo do ano eu fiz um post com as minhas resoluções e percebo que não fiz muita coisa:

1 – Realizar o “sonho” de ir ao Rock in Rio

Os ingressos estão comprados. Irei à 3 noites e essa expectativa que faz meus dias melhores. 

2 – Fazer alguma viagem para o exterior, não importa qual

Estou com viagem marcada para a Disney – de novo – para 30/08 \o/

3 – Ir pelo menos 3 vezes para Porto Alegre

Estou com passagem comprada para 11/08 e irei novamente em Dezembro…. ou seja, irei apenas 2 vezes nesse ano.

4 – Ser uma pessoa mais flexível

Ate acho que estou conseguindo cumprir esse quesito, mas ainda preciso melhorar bastante. 

5 – Deixar para trás tudo (e todos) que não me faz bem

Quem acompanha meus post sabe que não evolui quase nada nesse quesito.

6 – Fazer minha primeira tatuagem

Cheguei a agendar no estúdio, mas não fui. Medrosa demais… vamos ver se consigo até o fim do ano.

7  – Ler pelo menos 24 livros

Eeeerh….ahn….melhor nem comentar..

8 – Escrever mais no blog

Isso eu estou conseguindo, apesar de ser monotemática! hahaha

9 – Terminar o ano pelo menos 10kg mais leve (terminei 2012 8kg mais leve do que comecei)

Eeeerh….ahn….melhor nem comentar [2]

10 – Ser mais organizada profissionalmente.

Poxa, minha evolução profissional está me deixando bem feliz mesmo… de verdade <3

11 – Fazer aulas de guitarra

Essa é a cereja do meu bolo. Estou indo à todas as aulas e já me apresentei TRES vezes e tenho um festival agendado para o fim do ano. Estou amando demais. 

12 – Me dedicar mais à fotografia, algo que me faz muito bem.

Evolução Zero

13 – Correr minha primeira maratona de rua

Cheguei a me inscrever para a Venus, mas tive um imprevisto e não consegui ir. Mas irei ate o fim do ano sim….

 

E sua primeira metade do ano, como está?

 

 

 

31mai/13

A minha loucura e meu avô fake

Por em 31.05.2013 às 01:44 2 Comentários

Eu tenho pavor de andar a pé na rua. Nunca fui assaltada ou algo do gênero, mas já fui seguida diversas vezes. Quando estou a pé olho para todos os lados, ando rápido, se alguém se aproxima de mim tendo apressar ainda mais o passo e acaba se tornando um sofrimento muito grande para mim. Trabalho a quatro quadras de casa e mesmo assim vou de carro. Não me julguem.

Na escola onde eu estudo música tem um senhor com idade para ser meu avô que faz um trabalho de vigilante. No primeiro dia que minha aula passou a ser nessa unidade, eu não sabia disso e fiquei super assustada achando que tinha alguém me seguindo. Apertei o passo, abri a porta do carro, joguei a guitarra no banco do passageiro sem cuidado algum, dei a partida e saí ofegante. Pensei em parar com as aulas de guitarra por medo de ser seguida de novo. Para vocês verem até onde vai a paranóia desse ser humano que vos escreve.

Na semana seguinte, mesmo com medo fui para a aula, o vigilante veio até meu carro e se apresentou, obviamente percebeu meu ataque de medo da semana anterior. Não sei muito bem como isso foi acontecer, mas ele deduziu por conta própria que eu fazia aula de violão e tocava música evangélica. Até hoje não tive coragem de desmentir.

A partir daí, em todas as noites de segunda ele me ajuda a estacionar e me acompanha até a escola (minha pseudo síndrome do pânico agradece). Sempre dou uns trocadinhos para ele tomar café e o trato como se ele fosse meu avô.

Até que semana passada ele me disse: ” Fico a semana inteira esperando chegar Segunda-Feira para te ver, você é uma princesa. É a única que sorri para mim, todo mundo nem me olha… estão todos sempre tão apressados que nem prestam atenção em mim. Mas você me enxerga, sorri para mim e pergunta como foi meu final de semana. Você é a minha princesinha…”

Tem como não amar?

 

 

 

17abr/13

A primeira vez que subi no palco

Por em 17.04.2013 às 12:36 2 Comentários

Eu estudo guitarra numa escola gigantesca e excelente. Toda  engajada em eventos e que faz seu aluno aparecer (mesmo que ele não queira aparecer, como vocês vão perceber.)

Decidi estudar guitarra porque sou apaixonada por música, mas quero tocar só para mim. Não tenho pretensão de ter uma banda, de me apresentar em barzinhos e tal. Querer nem sempre é poder.

Cheguei para a minha aula, achando que seria como todas as outras. Meu professor estava me esperando na recepção e disse:

Ele: Esqueci de te avisar uma coisa.

Eu: O que? Não tem aula hoje?

Ele: Hoje é dia de apresentação, lá no anfiteatro. Eu queria que você tocasse.

Eu: Eu não posso, não estou preparada. Não, não, não dá.

Ele: Não vou te forçar. Mas seria importante você tocar para se preparar para a apresentação no barzinho mês que vem.

Eu: Tá, eu toco.

Descemos as escadas que davam para o anfiteatro e quando vi o número de pessoas peguei o braço do meu professor e disse  - provavelmente com cara de apavorada – que não conseguiria tocar. Ele assentiu com a cabeça, sentamos e assistimos a apresentação dos outros alunos. Eles arrasaram, os professores da minha escola são realmente bons.

De repente, o apresentador (e diretor da escola) diz no microfone: “Agora vamos encerrar a noite com a única garota de hoje. Ela vem de uma familia amante da música e suas duas irmãs já subiram nesse palco e arrasaram aqui. Agora é a vez dela. Vem arrasar no violão aqui Juliana Marotti. “

Quase engasguei quando ele disse. Não esperava que fosse eu. Toco guitarra e não violão e não tenho irmãs, minhas duas cunhadas que se apresentavam lá. Não podia ser covarde e fiz a unica coisa que podia. Tirei minha guitarra da capa, subi no palco sem nem conseguir sorri, sem nem olhar para frente, pluguei no amplificador e toquei AC/DC – You Shook me all night long.

Minhas pernas tremiam e eu sentia meu rosto queimar. Quando chegou no refrão acho – ACHO – que conseguir sorrir um pouco. Foram os 4 minutos mais longos da minha vida.

Como eu estava anestesiada, não sei se toquei bem. Acho que sim, mas só vou descobrir quando tiver acesso ao vídeo, que se estiver decente publico aqui no blog.

Quando eu terminei o diretor disse no microfone: Quando vi essa garota meiga subindo no palco achei que ela ia tocar Taylor Swift ou Demi Lovatto, e ela arrasou no AC/DC.  Fiquei mais roxa de vergonha, agradeci e desci do palco.

A vontade de vomitar só aumenta quando lembro que terei que tocar em um barzinho mês que vem.